Enfrentamento à violência contra a mulher

por SPM publicado 09/10/2013 08h48, última modificação 18/11/2014 11h25

 

Fórum Nacional Permanente de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta e Fóruns Estaduais

Discute, formula e implementa políticas públicas de enfrentamento à violência contra as mulheres que vivem no campo e na floresta. Essa tarefa demanda a mobilização de esforços do Estado, representado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres e os Ministérios parceiros, em conjunto com instituições e movimentos de mulheres rurais. saiba mais

 

Fóruns Estaduais de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta

Em 2013, estão sendo criados os Fóruns Estaduais de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta, para articular os atores locais e regionais dos diversos setores envolvidos com a questão (saúde, segurança pública, justiça, educação, assistência social, entre outros). saiba mais

 

Campanha “Mulheres, donas da própria vida - Viver sem violência, direito das mulheres do campo e da floresta”

A Campanha nacional “Mulheres, donas da própria vida - Viver sem violência, direito das mulheres do campo e da floresta” visa prevenir e enfrentar a violência sofrida pelas mulheres rurais em todo país. Ela mostra que as mulheres são donas das suas vidas e que viver com respeito e dignidade e sem violência é um direito de toda brasileira, inclusive das do campo e da floresta. saiba mais

 

Rede de Enfretamento à Violência contra a Mulher

A rede de enfrentamento à violência contra as mulheres articula a atuação das instituições e dos serviços governamentais, não-governamentais e da comunidade, visando: ao desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção contra a violência; políticas de empoderamento das mulheres e de garantia de seus direitos humanos; a responsabilização dos agressores e a assistência qualificada às mulheres em situação de violência. saiba mais

 

Unidades Móveis para o Atendimento às Mulheres do Campo e da Floresta Vítimas de Violência

A dificuldade de acesso aos serviços públicos é um dos principais problemas das áreas de campo, floresta e águas. As Unidades Móveis têm por objetivo levar às mulheres dessas áreas os serviços especializados da Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência. São 54 unidades móveis (2 por estado e para o DF), que farão ações de prevenção, assistência, apuração, investigação e enquadramentos legais no meio rural, tendo por norte os eixos do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres. Elas têm, ainda, função educativa, com a promoção de palestras e esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha e sua aplicação. saiba mais

 

Barcos – Unidades Móveis Fluviais de Enfrentamento à Violência contra a Mulher

Atendendo às demandas dos movimentos sociais de mulheres do campo, da floresta e das águas, a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República está se empenhando para ampliar ainda mais o atendimento às mulheres no âmbito do Programa Mulher: Viver sem Violência, permitindo que barcos (Unidades Móveis Fluviais) levem às mulheres ribeirinhas serviços de acesso à justiça e a direitos, à Lei Maria da Penha e à rede de atendimento a mulheres em situação de violência. O primeiro passo nesse sentido foi dado no dia 16 de janeiro de 2014, com a assinatura de um Termo de Cooperação entre a SPM e a Caixa Econômica Federal, que estabelece a prestação de serviços do ‘Mulher: Viver sem Violência”, coordenado pela SPM, na agência barco Ilha de Marajó, o qual atende uma vez por mês dez localidades com um total de 348.544 habitantes. saiba mais.
veja também “Diário de bordo do Barco Ilha de Marajó”: 

 

 

Ligue 180

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência - Ligue 180 – é um serviço de utilidade pública de emergência, gratuito e confidencial (preserva o anonimato) ofertado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM. Tem o objetivo de receber denúncias ou relatos de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e de orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário. saiba mais

 

 
 

voltar.jpg