Você está aqui: Página Inicial > Assuntos > Violência contra a Mulher > Pesquisas e publicações

Pesquisas e publicações

por SPM publicado 11/02/2015 14h59, última modificação 09/11/2015 09h02

PESQUISAS 2015

Mapa da violência - Homicídio de Mulheres no Brasil

Para colaborar com os diversos chamamentos nacionais e internacionais pelo fim da violência contra as mulheres, como início dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, ações da campanha do Secretário-Geral da ONU UNA-SE Pelo Fim da Violência contra as Mulheres, o Dia Internacional de Eliminação da Violência contra as Mulheres e também o Dia Nacional da Consciência Negra contribuímos com um novo Mapa da Violência, desta vez, focando a dinâmica dos homicídios femininos nos últimos anos.  


PESQUISAS 2014

2014-  Avon/Data Popular (Violência contra a Mulher: o jovem está ligado?)

Trata-se de  levantamento feito pelo Instituto Avon e Data Popular com 2.046 jovens de 16 a 24 anos de todas as regiões do país – sendo 1.029 mulheres e 1.017 homens - , por meio de questionário online de autopreenchimento. Os pesquisados responderam a questões sobre relacionamentos afetivos, relacionamentos virtuais, sexualidade, Lei Maria da Penha, violência nos relacionamentos e cyber vingança. http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/uploads/2014/12/pesquisaAVON-violencia-jovens_versao02-12-2014.pdf

 

PESQUISAS 2013

2013- Senasp/Data Folha (Pesquisa Nacional de Vitimização)

Trata-se de levantamento realizado sobre as condições de segurança pública no país. A pesquisa de vitimização é quantitativa, probabilística e com abordagem domiciliar dos entrevistados. O universo pesquisado foi composto por homens e mulheres, com idade  igual ou superior a 16 anos, moradores de municípios com mais de 15 mil habitantes na área urbana.

http://www.compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2014/04/MJ_Senasp_PesquisaNacionalVitimizacao_maio2013.pdf

 

2013 – Data Senado (Violência Doméstica contra a Mulher)

As pesquisas do DataSenado são feitas por meio de amostragem com entrevistas telefônicas. Para a pesquisa sobre violência doméstica e familiar, realizada a cada dois anos, a população considerada é a de mulheres com 16 anos ou mais, residentes no Brasil e com acesso a telefone fixo.

http://www.senado.gov.br/senado/datasenado/pdf/datasenado/DataSenado-Pesquisa-Violencia_Domestica_contra_a_Mulher_2013.pdf

 

2013 - Pesquisa Avon/Data Popular (Percepções de Homens sobre a Violência contra as Mulheres)

Trata-se de pesquisa quali-quantitativa realizada em âmbito nacional. Na etapa qualitativa, foram entrevistados 13 especialistas ligados a órgãos governamentais e organizações da sociedade civil que se dedicam ao enfrentamento à violência contra as mulheres, além de 6 homens que cometeram agressões contra mulheres. Na etapa quantitativa, 1500 pessoas de 50 municípios responderam a questionários.

http://www.compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2013/12/folderpesquisa_instituto22x44_5.pdf


2013- Instituto Patrícia Galvão/ Data Popular (Percepção da sociedade sobre violência e assassinato de mulheres)

Trata-se de pesquisa de opinião realizada com 1.500 homens e mulheres, maiores de 18 anos, em 100 municípios do país, entre os dias 10 e 18 de maio deste ano. A pesquisa foi realizada pelo Data Popular e Instituto Patrícia Galvão, e revelou significativa preocupação da sociedade brasileira com a violência doméstica e os assassinatos de mulheres pelos parceiros ou ex-parceiros.

http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/uploads/2013/08/livro_pesquisa_violencia.pdf

 

2013 - Conselho Nacional de Justiça (Pesquisa o Poder Judiciário na Aplicação da Lei Maria da Penha)

Trata-se de levantamento de informações sobre a atuação do Poder Judiciário na aplicação da Lei Maria da Penha, realizado pela Comissão Permanente de Acesso à Justiça e Cidadania e pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ. Dois objetivos principais guiaram o trabalho realizado: avaliar os níveis de adesão dos Tribunais à Lei 11.340/2006 e a Recomendação nº 09/2007; e propor uma segunda onda de efetivação da Lei com foco na interiorização dos Juizados e Varas.

http://www.compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2013/04/CNJ_pesquisa_atuacaoPJnaaplicacaoLMP2013.pdf

 

2013 – Mapa da Violência: Homicídios e Juventude no Brasil

Mapas da Violência vêm produzindo uma série periódica de estudos que possibilitam ponderar a situação e a evolução da mortalidade violenta nos diversos locais do Brasil. Essa abrangência e sistematicidade tornaram os Mapas da Violência insumos essenciais para a elaboração e avaliação dos planos e estratégias de enfrentamento da violência no país. Nesta edição, foram investigados os homicídios de jovens no Brasil.

http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2013/mapa2013_homicidios_juventude.pdf

 

PESQUISAS 2012

2012- FLACSO/Brasil (Mapa da Violência- Homicídios de Mulheres no Brasil)

Mapas da Violência vêm produzindo uma série periódica de estudos que possibilitam ponderar a situação e a evolução da mortalidade violenta nos diversos locais do Brasil. Essa abrangência e sistematicidade tornaram os Mapas da Violência insumos essenciais para a elaboração e avaliação dos planos e estratégias de enfrentamento da violência no país. Nessa edição, foram investigados os homicídios de mulheres no Brasil.

http://mapadaviolencia.org.br/pdf2012/MapaViolencia2012_atual_mulheres.pdf

 

PESQUISAS 2011

2011- Instituto Avon/IPSOS (Percepções sobre a violência contra a mulher)

Trata-se de pesquisa quantitativa, que teve por objetivo aprofundar o conhecimento sobre o tema violência contra a mulher, buscando embasamento para combater esse tipo de ação mais efetivamente. Foi aplicado questionário estruturado por meio de entrevistas pessoais domiciliares com 1800 pessoas com 16 anos ou mais, entre 31 de janeiro e 10 fevereiro.

http://compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2012/08/Avon-Ipsos-pesquisa-violencia-2011.pdf

 

2011 - Data Senado 2011  (Violência contra a Mulher)

As pesquisas do DataSenado são feitas por meio de amostragem com entrevistas telefônicas. Para a pesquisa sobre violência doméstica e familiar, realizada a cada dois anos, a população considerada é a de mulheres com 16 anos ou mais, residentes no Brasil e com acesso a telefone fixo. Nessa pesquisa, foram realizadas 1.352 entrevistas, apenas com mulheres, em 119 municípios, incluídas todas as Capitais e o DF.

http://compromissoeatitude.org.br/wp-content/uploads/2012/08/DataSenadoPesqVCM2011.pdf

 

A publicação apresenta o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, lançado em 2007, como parte da Agenda Social do Governo Federal. O Pacto consiste num acordo federativo entre o governo federal, os governos dos estados e dos municípios brasileiros para o planejamento de ações que visem à consolidação da Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, por meio da implementação de políticas públicas integradas em todo território nacional. 


A publicação apresenta a Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, que tem por finalidade estabelecer conceitos, princípios, diretrizes e ações de prevenção e combate à violência contra as mulheres. Formulada em 2007, orienta a formulação e execução das políticas públicas implementadas pela Secretaria de Políticas para as Mulheres - SPM/PR. Com base em instrumentos internacionais de direitos humanos e em normas nacionais, também orienta as políticas para a assistência e garantia de direitos às mulheres em situação de violência.


A publicação apresenta a rede de enfrentamento à violência contra as mulheres. A rede consiste na atuação articulada entre instituições e serviços governamentais, não-governamentais e a comunidade, visando ao desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção e de políticas que garantam o empoderamento e a construção da autonomia das mulheres, os seus direitos humanos, a responsabilização dos agressores e a assistência qualificada às mulheres em situação de violência.


A publicação “Diretrizes Nacionais de Abrigamento às Mulheres em Situação de Violência” apresenta um conjunto de recomendações que norteiam o abrigamento de mulheres em situação de violência e o fluxo de atendimento na rede de serviços, incluindo as diversas formas de violência contra a mulher (tráfico de mulheres, violência doméstica e familiar contra as mulheres, etc) e novas alternativas de abrigamento (tais como, abrigamento temporário de curta duração/“casa de passagem”, albergues, benefícios eventuais e consórcios de abrigamento).


O documento “Diretrizes e Ações para o Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta” marca o comprometimento do Estado Brasileiro com a implementação de políticas voltadas para as mulheres do campo e da floresta, a partir do estabelecido no II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, na Política e no Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.


A publicação visa apresentar o resultado da trajetória da SPM no Enfrentamento ao Tráfico de Mulheres aos parceiros do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, às mulheres brasileiras, aos(às) pesquisadores(as) e estudiosos(as), aos(às) representantes da sociedade civil organizada e à sociedade brasileira como um todo. Garante, dessa forma, a transparência da gestão pública no tocante às políticas para as mulheres.


A publicação apresenta o trabalho da Ouvidoria da Secretaria de Políticas para as Mulheres/PR, que constitui um espaço institucional representativo das mulheres que contribui para a o estímulo, a promoção a defesa e a valorização dos seus direitos. Inclui forma de funcionamento, dados, fluxograma e encaminhamentos desse importante serviço oferecido pela SPM.

 

PESQUISAS 2010

2010 - Perseu Abramo/Sesc (Mulheres Brasileiras e Gênero nos Espaços Público e Privado – capítulo sobre violência contra a mulher)

 Trata-se de pesquisa realizada com mulheres e homens brasileiros com 15 anos de idade, num total de 2.365 entrevistas com mulheres e 1.181 com homens, distribuídas em 25 UFs nas cinco macrorregiões do país, cobrindo as áreas urbana e rural. Foram aplicados questionários estruturados, por meio de   entrevistas pessoais e domiciliares realizadas por equipes compostas exclusivamente por pesquisadoras, na amostra de mulheres, e pesquisadore, na amostra de homens. Leia capítulo V da pesquisa referente à violência doméstica.

http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/uploads/2011/03/datasenadopesqvcm2011.pdf

 

PESQUISAS 2009

2009 - Ibope/Instituto Avon (Percepções e reações da sociedade sobre a violência contra a mulher)

Trata-se de pesquisa quantitativa com o objetivo levantar a opinião dos brasileiros sobre a violência contra a mulher. Foi realizada entre 13 e 17 de fevereiro de 2009, com aplicação de questionário estruturado por meio de entrevistas pessoais com 2002 pessoas com 16 anos ou mais.

http://www.spm.gov.br/lei-maria-da-penha/lei-maria-da-penha/2009-pesquisa-ibope.avon-violencia-domestica.pdf

 

PESQUISAS 2008

2008 (Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros)

Mapas da Violência vêm produzindo uma série periódica de estudos que possibilitam ponderar a situação e a evolução da mortalidade violenta nos diversos locais do Brasil. Essa abrangência e sistematicidade tornaram os Mapas da Violência insumos essenciais para a elaboração e avaliação dos planos e estratégias de enfrentamento da violência no país.

http://mapadaviolencia.org.br/pdf2012/MapaViolencia2012_atual_mulheres.pdf

 

2008 - Ibope / Themis – 2008 (Dois anos da Lei Maria da Penha: o que pensa a sociedade? Principais resultados da pesquisa).

Trata-se de pesquisa que teve por objetivo levantar o grau de conhecimento e a opinião sobre a Lei Maria da Penha. Foi realizada entre 17 e 21 de junho de 2008, por meio de 2.002 entrevistas pessoais representativas da população adulta brasileira (mais de 16 anos), em todos os estados brasileiros, capitais e regiões metropolitanas (142 municípios).

http://www.spm.gov.br/lei-maria-da-penha/lei-maria-da-penha/2008-pesquisa-ibope-themis.-dois-anos-de-lei.pdf